Sinatra In Rio

Em 1980, show foi significativo para o Brasil como destino de artistas

Reza a lenda que quando Frank Sinatra pisou no palco do Maracanã e observou a multidão de mais de 170 mil pessoas, o maior público de um evento musical do mundo até então, exclamou: "Oh my God"!

Essa foi também a reação de cada fã que se fez presente ao estádio naquele dia. O "Blue Eyes" fez um showzaço, de 75 minutos, com direito até a "Corcovado", de Tom Jobim, ao lado do Cristo Redentor. Mas esse não foi o único momento especial da noite. Pelo contrário.

Em "My Way", por exemplo, Sinatra recebeu um beijo de um fã que conseguiu driblar a segurança e subir no palco - ele viria a tornar-se o folclórico Beijoqueiro, que após essa data, passou a tentar repetir o feito em diversos eventos realizados no Brasil.

E o que falar do que aconteceu em "Strangers In The Night"? Ele se confundiu com a letra da canção na apresentação, porém a plateia o ajudou. Quando ele ficou em silêncio, as mais de 170 mil vozes cantaram em uníssono os versos. Ao fim, encerrou o show com a então inédita "Theme From New York, New York..." e foi aplaudido de pé.

Para se ter uma noção do quanto esse show foi repercutido na época, a Rede Globo fez uma transmissão, chamada "Frank Sinatra Especial", para toda a América do Sul, exceto a Colômbia. Mais do que um grande show musical, o "Sinatra In Rio" foi uma afirmação: o Rio de Janeiro está pronto para receber grandes astros.

Depois dele, abriu-se o mercado para superstars da música se apresentarem na cidade. Especialmente, claro, no Maraca, que ainda receberia, por exemplo, Kiss, Paul McCartney, Tina Turner, Madonna e, claro, o Rock in Rio II, em 1991.