História


Meu nome é Estádio Jornalista Mário Filho, mas aqui no Rio de Janeiro ninguém chama os amigos pelo nome, né? Por isso, a galera me chama de Maracanã - por causa do Rio Maracanã, que passa bem em frente a mim. Para os mais íntimos, sou o Maraca.

A minha gestação durou bem mais de nove meses. Comecei a ser construído no dia 2 de agosto de 1948 e fui inaugurado em 16 de junho de 1950. Já são 67 anos de vida, com duas Copas do Mundo (1950 e 2014), Jogos Pan-Americanos (2007), Olimpíadas e Paralimpíadas (2016), além de muitos outros momentos inesquecíveis.

Claro que, nesse período, passei por uma plástica aqui e outra ali, para manter minha jovialidade. De 1999 a 2000, ganhei cadeiras. De 2005 a 2007, me adaptei para o Pan. E na mais significativa delas, de 2010 a 2013, fiquei prontinho pra Copa e para as Olimpíadas. Tô inteirão, mais bonito e moderno do que nunca – e com a alma de sempre! Pronto pra outra(s)!

Nasci como um estádio para a Copa do Mundo de 1950, mas tornei-me um ícone. Cresci para ser um palco do futebol, mas me tornei o seu templo. Aqui, qualquer jogo vira uma decisão. Qualquer concerto é um espetáculo. Desconhecidos se tornam amigos e gritam juntos. E eu fico muito feliz não só pela minha história, mas pelo que sei que represento para a sua.

Por isso, quero relembrar junto com você alguns desses momentos marcantes. Vem comigo nessa Linha do Tempo e identifique quais dessas datas tiveram um significado na sua vida. Espero que a recordação delas seja tão boa para você quanto é para mim. Afinal, como diria um dos meus mais ilustres visitantes desses 67 anos, o Rei Roberto Carlos, que comemorou 50 anos de carreira com um showzaço no meu gramado, em 2009, “São tantas emoções, bicho”.

Assunto: