Flamengo 3 x 2 Atlético-MG

Brasileiro de 1980 foi primeira de muitas conquistas do Fla nos anos 80

A década de 1980 foi especial para o Flamengo. O Rubro-Negro conquistou simplesmente quatro campeonatos brasileiros, uma Libertadores da América e ainda o Mundial Interclubes. E tudo isso começou no dia 1 de junho de 1980. Quando, em uma finalização improvável, aos 37 minutos do segundo tempo, Nunes venceu João Leite e marcou o terceiro gol do time da Gávea sobre o Atlético-MG. O Clube de Regatas do Flamengo sagrava-se, pela primeira vez, campeão brasileiro.

Foi uma temporada irretocável. Na primeira fase, o time venceu 5 de 7 jogos. Empatou um e perdeu o outro. Na segunda, foram 4 vitórias e 2 empates em 6 partidas. Na terceira, novamente, a invencibilidade: duas vitórias e um empate, que garantiram a equipe nas semifinais, contra o Coritiba. O Rubro-Negro venceu os dois jogos, por 2 a 0 e 4 a 3, e foi à final contra o Galo, que eliminou o Internacional nas semis e havia perdido só duas vezes na competição. Ou seja, era um duelo, realmente, entre os melhores times do país no momento.

Era o Flamengo de Zico contra o Atlético de Reinaldo. E quem começou melhor foi o artilheiro do Galo. O primeiro jogo da final foi em Belo Horizonte, e o time da casa venceu por 1 a 0, com gol do atacante. Se quisesse conquistar a taça do Brasileirão pela primeira vez na sua história, precisaria, pelo menos, devolver o placar. Ou seja, vencer o duelo, no Maracanã, por um gol de diferença. Afinal, teve melhor campanha nas semis e, por isso, tinha a vantagem do empate na soma dos resultados.

Por isso, o Rubro-Negro foi para cima com tudo, e logo aos 7 minutos abriu o placar com Nunes. Zico deu lindo passe, em profundidade, e deixou o João Danado na cara do gol, aproveitando o posicionamento em linha da defesa do Galo. O centroavante tirou do goleiro e correu para o abraço. A explosão foi tão grande que o Flamengo se desconcentrou. No minuto seguinte, Reinaldo, sempre ele, empatou. E foi um galo. Ele recebeu a bola na área, tirou de três marcadores, ajeitou o corpo e bateu para fazer 1 a 1 e calar o Maracanã.

E esse susto acabou deixando o Flamengo, novamente, ligado no jogo. Zico e companhia partiram com tudo para cima do Galo, que também assustava nos contra-ataques. Ficou uma partida lá e cá, imprevisível, como era de se esperar. Até que, aos 44 minutos da primeira etapa, Zico aproveitou chute mascado de Júnior, que sobrou na área, para fuzilar no gol de de João Leite. Só que o jogo estava longe de ser decidido. A segunda etapa ainda reservava muitas emoções.

Nos primeiros minutos, Reinaldo sentiu, e a torcida do Mengo se encheu de esperança. Tanto que começou até a provocar o centroavante do galo, chamando-o de bichado. Só que isso teve o efeito contrário. Ele não só seguiu em campo, com dores e tudo, como ainda empatou o jogo de novo, aos 21, em chute rasteiro indefensável para Raul. Só que, um tempo depois, Reinaldo, que já tinha cartão amarelo, foi expulso após passar na frente do goleiro rubro-negro que ia cobrar um tiro de meta.

Com um a mais, o Flamengo voltou ao ataque e, de tanto insistir, conseguiu o gol que precisava. Aos 37 minutos, num lance genial, Nunes entortou Silvestre e finalizou com categoria, mesmo sem ângulo, para colocar 3 a 2 no placar e, dessa vez, fazer a torcida rubro-negra explodir com razão. Não teria mais Reinaldo. Não teria mais empate. O título brasileiro estava garantido. Ainda mais com as expulsões de Palhinha e Chicão em seguida. Os craques em campo e os 150 mil torcedores no Maraca mereciam. E era apenas o começo de uma década de ouro para o Fla.

FLAMENGO 3 x 2 ATLÉTICO-MG

Data: 01 de junho de 1980
Local: Estádio do Maracanã (Rio de Janeiro)
Competição: Campeonato Brasileiro de 1980
Público: 154.355 torcedores

Árbitro: José de Assis Aragão
Gols: Nunes-FLA, aos 07´, Reinaldo-CAM, aos 8´, e Zico-FLA, aos 44´do 1º T; Reinaldo-CAM, aos 21´, e Nunes-FLA, aos 37´do 2º T

Clube de Regatas do Flamengo: Raul; Toninho, Manguito, Marinho e Júnior; Andrade, Carpegiani (Adílio) e Zico; Tita, Nunes e Júlio César. Técnico: Cláudio Coutinho.

Clube Atlético Mineiro: João Leite; Orlando (Silvestre), Osmar, Luisinho (Geraldo) e Jorge Valença; Chicão, Toninho Cerezo e Palhinha; Pedrinho, Reinaldo e Éder. Técnico: Procópio Cardoso.

Observação: Escolher jogos inesquecíveis de clubes no Maracanã é uma tarefa árdua. Por isso, escolhemos um de cada equipe grande do Rio de Janeiro para representar as suas gigantescas histórias no estádio.