Brasil 2 x 0 Uruguai

Romário deu show em 1993 e garantiu o Brasil na Copa dos Estados Unidos

"O jogo contra o Uruguai vai ser uma guerra. Vim para ganhar. Vou classificar o Brasil para a Copa do Mundo".

Qual seria o único jogador capaz dessa declaração antes de um jogo que definiria se a Seleção disputaria uma Copa do Mundo? Só o Baixinho mesmo. Com essa marra que lhe é peculiar, Romário era o centro das atenções no Maracanã naquele 19 de setembro de 1993. Após quase um ano afastado da seleção brasileira, por reclamar de ficar no banco, ele estava de volta. E que volta, peixe!

Se você não viveu esse momento, imagine o cenário. Última rodada do Grupo B das Eliminatórias para Copa do Mundo de 1994. Correndo risco de ficar de fora do Mundial se perdesse, o Brasil recebia o Uruguai, que venceu a Seleção duas vezes no ano anterior em amistosos. Era necessário um herói para conduzir essa equipe rumo ao Estados Unidos. E ele era o camisa 11, que tanto queria ser protagonista.

Com mais de 101 mil pagantes, o Maraca pulsava. Logo em de seus primeiros toques na bola, Romário já deu um balão em um adversário. Pouco depois, meteu uma bola no travessão de Siboldi. Em seguida, deu uma caneta e bateu de biquinho, mas a bola foi, caprichosamente, para fora. O Brasil jogava fácil, criava e dominava amplamente a partida. Só que os gols não saíam. O primeiro tempo terminou em 0 a 0, aumentando a tensão no estádio.

Só que na segunda etapa a genialidade do Baixola e de seus companheiros foi recompensada. Aos 26 minutos, Bebeto foi lançado pela esquerda e cruzou na medida para Romário se agigantar e cabecear forte, para o chão, sem defesa para o arqueiro celeste. Brasil 1 a 0, para explosão do Maraca, que nem sabia que o melhor ainda estava por vir. Foi quando Mauro Silva roubou a bola no meio-campo e lançou para o camisa 11.

Em um lance de muito recurso, Romário fintou o goleiro Siboldi, que ficou no chão sem nada poder fazer a não ser ver o Baixinho tocar a bola para o fundo da rede e decretar o resultado final. Brasil 2 a 0. Vaga garantida na Copa, que seria vencida por aquela mesma Seleção, comandada pelo mesmo polêmico atacante, encerrando um jejum de 24 anos sem o título mundial.

BRASIL 2 x 0 URUGUAI

Data: 19 de setembro de 1993
Estádio: Maracanã (Rio de Janeiro)
Público: 101.670 pagantes.

Árbitro: Alberto Tejada Noriega (Peru).
Gols: Romário, aos 26' e aos 38' do segundo tempo.

Brasil: Taffarel; Jorginho, Ricardo Rocha, Ricardo Gomes e Branco; Mauro Silva, Dunga, Raí e Zinho; Bebeto e Romário. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

Uruguai: Siboldi; Canals (Adrián Paz), Herrera, Kanapkis e Méndez; Dorta, Batista, Gutiérrez e Francescoli (Zalazar); Fonseca e Rubén Sosa. Técnico: Ildo Maneiro.