Vasco 0 x 0 Palmeiras

Vasco ganhou o Brasileirão de 97 com campanha animal de Edmundo

Para muitos brasileiros, especialmente torcedores do Vasco da Gama, Edmundo deveria ter sido eleito o melhor jogador do mundo em 1997. E muito disso é pelo que ele jogou na campanha do Cruzmaltino no título brasileiro daquele ano. A decisão, contra o Palmeiras, não chegou a ser empolgante. Longe disso. Nem em São Paulo, nem no Rio de Janeiro. Ambos os jogos terminaram em 0 a 0, inclusive. Mas a campanha é inesquecível para o vascaíno. Ainda mais por ser a precursora do grande título da história do clube, a Libertadores de 1998.

O que o Vasco de Edmundo fez em 1997 foi incrível. Liderou a fase de pontos corridos do Brasileirão, com 54 pontos, em um campeonato com 26 clubes. Foram 17 vitórias, 3 empates e só 5 derrotas em 25 partidas. Na segunda fase, teve pela frente Flamengo, Juventude e Portuguesa no Grupo A. Ganhou 4 jogos e empatou 2, classificando-se para a final com tranquilidade. Nessa campanha, destaque para a goleada por 4 a 1 sobre o arquirrival Flamengo, com 3 gols dele, Edmundo, que batia o recorde de gols em uma edição do Brasileirão: 29.

Restava apenas a final. Só que do outro lado estava o Palmeiras, que na segunda fase, enfrentou um grupo teoricamente mais forte, com Santos, Internacional e Atlético-MG, e se classificou com uma campanha melhor do que a do Vasco, com 5 vitórias e 1 empate. Só que a vantagem do empate na final era de quem tinha os melhores resultados na primeira fase - o que dava esse benefício ao Vasco, primeiro colocado, enquanto o Palmeiras ficou em sétimo.

E após a primeira partida da final, no Morumbi, o Cruzmaltino ficou ainda mais confiante. Isso porque o Palmeiras não conseguiu marcar um gol sequer, mesmo com Alex, Zinho, Viola e companhia. O placar ficou no 0 a 0, o que deixava para o Verdão toda a pressão de fazer o resultado no segundo confronto. Afinal, se ele terminasse também empatado, a taça do Brasileirão de 1997 ficaria no Rio de Janeiro. Mas os vascaínos corriam o risco de ficar sem Edmundo para o jogo.

O que aconteceu é que o jogador levou um cartão amarelo em São Paulo. Seria o seu terceiro, que o deixaria de fora da partida por suspensão automática. Só que a comissão técnica do Vasco teve a ideia de fazer com que ele fosse expulso, para ser julgado durante a semana e, caso fosse absolvido, poder jogar. Então, o Animal, do banco de reservas, xingou o árbitro e tomou o cartão vermelho. A estratégia deu certo. Sua pena foi suspensa e ele entrou em campo no Rio.

A pena é só que o placar, novamente, não fez jus ao futebol das duas equipes na competição. Principalmente do Vasco, que terminou a competição com 69 gols a favor - 29 deles de Edmundo. Foi até um bonito jogo no Maraca, cheio de boas chances de ambos os lados, porém a bola teimava em não entrar. O próprio Edmundo meteu bola no travessão em cobrança de falta, Ramon desperdiçou boa cabeçada e o Palmeiras, que atacou mais, por precisar do resultado, desperdiçou uma série de oportunidades, com Viola, Euller, Alex...

Até a derradeira, aos 44 minutos, quando Pimentel acertou belo cruzamento e o atacante Oséas testou forte, mas não conseguiu vencer Carlos Germano. Ali, o torcedor vascaíno sabia que a pressão palmeirense não deria em nada. Era a hora de soltar o grito de "É campeão!". Pela terceira vez (a primeira foi em 1974 e a segunda em 1989), o Club de Regatas Vasco da Gama sagrava-se campeão brasileiro de futebol.

E os vascaínos mal sabiam que no ano seguinte ainda conquistariam a América, ao vencer a Libertadores de 98 no ano de seu centenário...

VASCO 0 X 0 PALMEIRAS

Data: 21/12/1997
Local: Maracanã
Competição: Campeonato Brasileiro de 1997
Público: 89.200

Árbitro: Sidrack Marinho

Vasco: Carlos Germano, Válber, Odvan, Mauro Galvão e Felipe. Luisinho, Nasa, Juninho Pernambucano (Pedrinho) e Ramon. Edmundo e Evair (Nélson). Técnico: Antônio Lopes.

Palmeiras: Veloso, Pimentel, Roque Júnior, Cléber e Júnior. Galeano (Marquinhos), Rogério, Alex (Oséas) e Zinho. Euller e Viola (Cris). Técnico: Luís Felipe Scolari.

Observação: Escolher jogos inesquecíveis de clubes no Maracanã é uma tarefa árdua. Por isso, escolhemos um de cada equipe grande do Rio de Janeiro para representar as suas gigantescas histórias no estádio.