Alemanha 1 x 0 Argentina

Final da Copa do Mundo FIFA 2014 coroou ótima geração alemã

Quando o jovem Mario Götze, aos 7 minutos do segundo tempo da prorrogação, bateu cruzado e estufou a rede de Romero, a história do futebol era escrita - mais uma vez - no gramado do Maracanã. Naquele 13 de julho de 2014, diante de um público de mais de 74 mil espectadores, a Alemanha sagrava-se tetracampeã mundial de futebol, ao vencer a Argentina, de Lionel Messi, por 1 a 0. Resultado que coroou uma campanha invicta, com um futebol bonito e uma relação de grande afinidade com o público local.

Durante todo o período em que esteve no Brasil, a Alemanha se aproximou muito dos brasileiros. Hospedada em Salvador, na Bahia, fez a festa de crianças locais. Sua fornecedora de material esportivo fez um segundo uniforme em vermelho e preto, para homenagear o Flamengo. Um de seus jogadores, Podolski, começou a se comunicar em português com os fãs nas redes sociais. E, dentro de campo, o que se viu foi um futebol ofensivo, com trocas de passes eficientes e lances de efeito que lembravam as melhores gerações brasileiras.

Tanto que nem mesmo a pior derrota da história do nosso futebol, na semifinal, quando os alemães derrotaram a Seleção por 7 a 1, fez com que os brasileiros deixassem de torcer para eles. É claro que todos queriam de Brasil x Argentina na decisão. Seria épico. Mas já que não foi possível, parece que a maior parte dos torcedores do nosso país abraçou nossos algozes. Já imaginou, mais uma vez, uma seleção sul-americana, nossa grande rival, ganhando a Copa do Mundo dentro do Maraca?

Tenso!

Mas não foi fácil. Se a Alemanha passeou contra o Brasil na semifinal, teve que suar muito para derrotar os hermanos argentinos na decisão. Inclusive, foi a equipe sul-americana quem teve as melhores chances de abrir o placar durante o tempo normal. Higuaín perdeu uma oportunidade claríssima, frente a frente com Neuer, após recuo errado de Kroos, e depois ainda marcou um gol em impedimento, aos 29 minutos da primeira etapa.

A Alemanha se recompôs e também criou dois lances de perigo. Um com Schürrle, que surpreendentemente entrou em campo no lugar do volante Kramer, lesionado, que forçou boa defesa de Romero em finalização potente, e outro em cabeçada do zagueiro Höwedes, que acertou a trave. No segundo tempo, o jogo deu uma caída. Messi teve grande chance no começo, só que acertou a trave, e, do outro lado, Kroos também arriscou um chute sem sucesso.

Como costuma acontecer em finais de Copa do Mundo, era um jogo mais tenso do que de habilidade e qualidade técnica. O placar de 0 a 0 foi se arrastando e fomos para a prorrogação. O panorama do jogo pouco se alterou, e todos já sentiam aquele "cheirinho" de disputa de pênaltis. Só que é aquela história clichê, mas que é muito verdade: "o futebol é uma caixinha de surpresas". Aos 7 minutos do segundo tempo, o baixinho Götze tornou-se um gigante na história do esporte.

A troca de passes começou ainda no sistema defensivo, com Boateng e Hummels, e chegou a Schweinsteiger, líder do meio de campo alemão, que ajeitou para Schurrle no lado esquerdo do campo. Ele deu um baita pique e, mesmo marcado, lançou para a área. Götze ajeitou com o peito e, sem deixar a bola cair, bateu cruzado na saída de Romero. Um lindo gol para abrir o placar e sacramentar o destino da Copa do Mundo FIFA de 2014.

Que venha a terceira!

Um final épico para uma competição inesquecível. A Copa no Brasil foi considerada, por muitos, a melhor de todos os tempos. Pelo futebol jogado e pela recepção calorosa do público. Para os cariocas e o Maracanã, foi uma jornada que teve as duas cerimônias, de Abertura e Encerramento, e mais seis jogos. Quatro na fase de grupos (Argentina x Bósnia, Espanha x Chile, Bélgica x Rússia e Equador x França) e dois nos playoffs (Alemanha x França e Alemanha x Argentina).

Foi a segunda decisão de Copa do Mundo sediada pelo Maracanã. A outra foi em 1950, com o estádio recém inaugurado, e uma surpreendente vitória do Uruguai sobre o Brasil, por 2 a 1. Somente o Estádio Azteca, no México, também teve essa honra, em 1970 e 1986. E é claro que, depois da "Copa das Copas", como ficou conhecido o Mundial de 2014 no Brasil, a gente já sonha com uma terceira final por aqui, não é mesmo?

FICHA TÉCNICA:
ALEMANHA 1 X 0 ARGENTINA
Copa do Mundo 2014 - Final

Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Data: 13 de julho de 2014, domingo
Horário: 16h (horário de Brasília)
Público: 74.738 torcedores
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Assistentes: Renato Faverani e Andrea Stefani (ambos ITA)

Cartões amarelos: Schweinsteiger e Howedes (ALE); Mascherano e Aguero (ARG)

Gol: Gotze (ALE), aos sete minutos do segundo tempo da prorrogação

ALEMANHA: Neuer; Lahm, Boateng, Hummels e Howedes; Schweinsteiger e Kramer (Schurrle); Muller, Kroos e Ozil (Mertesacker); Klose (Gotze) Técnico: Joachim Low

ARGENTINA: Romero; Zabaleta, Demichelis, Garay e Rojo; Mascherano, Biglia, Enzo Pérez (Gago) e Messi; Lavezzi (Aguero) e Higuaín (Palacio) Técnico: Alejandro Sabella